O judiciário tomou medidas para os inquilinos: Passos foram dados para o novo tribunal

Recentemente, as disputas entre proprietários e inquilinos devido ao aumento do aluguel trouxeram muitos problemas. As disputas variaram de inquilinos se mudando para quilômetros de distância de seu local de residência a novas brigas e assassinatos.

UM PASSO FOI DADO PARA UM NOVO TRIBUNAL

As partes que não conseguiram chegar a um acordo tomaram fôlego no tribunal. Como resultado, os tribunais também foram fortemente sobrecarregados. Tanto é assim que a maioria dos processos nos departamentos competentes do Tribunal Regional de Justiça de Istambul, que trata de todos os processos em Istambul e na região da Trácia, são a carga de trabalho dos processos de arrendamento.

Enquanto o número total de processos levados a 3 tribunais nos primeiros 6 meses do ano passado foi de 4 mil 263, os números deste ano indicam um aumento. O número de arquivos recebidos no período de 6 meses de 1º de janeiro de 2022 a 13 de junho de 2022 foi determinado em 5 mil 692.

Como o número de casos tratados pelos escritórios de advocacia 35, 36 e 49 aumentou em linha com o aumento das disputas entre senhorios e inquilinos, foi decidido estabelecer um quarto escritório de advocacia no Tribunal Regional de Justiça de Istambul, a fim de acelerar o processo judicial actividades e o acesso antecipado dos cidadãos à justiça.

APROXIMADAMENTE 2X AUMENTADO

Um tribunal superior, que decide em média 80 processos por semana, toma cerca de 2.500 decisões em uma média de 4 mil processos por ano. Nos tribunais onde o número de processos aumenta de dia para dia, chegaram a tribunal constituído em setembro de 2020 3 mil 664 processos, enquanto o número de processos transferidos para 2021 atingiu 3 mil 477, e o número de processos transferidos nos 6 meses período este ano atingiu 6 mil 309. Isso indica um aumento de aproximadamente 2 vezes.

Enquanto os tribunais trabalhavam de forma rápida e meticulosa, 1.447 dos 1.991 processos recebidos em 2022 foram concluídos. A maioria dos processos no Tribunal Regional de Justiça de Istambul, onde muitas questões como direito de condomínio, herança e tutela, são casos de aluguel que ocupam a agenda.

O PROPRIETÁRIO NÃO PODE REMOVER DA MANEIRA QUE DESEJA

Estatísticas sobre casos de determinação de aluguel, em que o proprietário bate à porta do tribunal para aumentar o aluguel, indicam que os tribunais estão do lado dos inquilinos.

Então, em que condições o locador pode despejar o inquilino e de que forma os tribunais decidem a favor dos inquilinos em casos de determinação de aluguel? Os direitos dos inquilinos e proprietários são regulamentados no Código de Obrigações da Turquia. Portanto, os artigos relevantes da lei são decisivos. Ele também lista as razões para o despejo.

O senhorio pode despejar o inquilino por motivos como não pagar o aluguel em dia, inadimplência, necessidade, necessidade do novo proprietário, no caso de 10 anos, quebra de contrato e descumprimento do compromisso de despejo. No entanto, cada item tem seus próprios critérios importantes.

Por exemplo, um senhorio não pode conceder um benefício ao inquilino com uma situação verbal como “eu preciso desta casa, você tem que sair”. Ele e seus descendentes precisam disso. A alegação de necessidade deve continuar até que a decisão seja finalizada. Se ele perder a vida ou comprar uma casa nova, não poderá remover seu inquilino novamente, pois sua reivindicação está encerrada.

Para que o inquilino que mora no apartamento há 10 anos saia, é necessário enviar um aviso com 3 meses de antecedência. Se for solicitada a emissão por inadimplência, deve ser feita uma greve de pagamento no prazo de 30 dias. Se o inquilino não pagou a tempo, ele deve ter repetido isso 2 vezes.

Se houver quebra de contrato, o proprietário deve notificar. Se o inquilino retificar a infração no prazo de 30 dias, ele não poderá ser despejado novamente. Em suma, quando o senhorio diz “saia”, o inquilino não pode ser despejado.

OS TRIBUNAIS ESTÃO ASSINANDO DECISÕES A FAVOR DO LOCATÁRIO

Outra questão é a quantidade de aumento de aluguel a taxas exorbitantes. Neste ponto, os tribunais têm uma abordagem que protege os direitos do inquilino. As decisões são assinadas a favor do inquilino.

Por exemplo, uma casa cujo aluguel é de 3 mil liras é subitamente elevada a uma taxa alta, resultando no inquilino ficando sem-teto. Ou esperança dos tribunais. Neste momento, os tribunais estão trabalhando duro para chegar a uma solução.

De acordo com o princípio da pesquisa ex officio, os tribunais determinam a taxa. Para isso, ele ainda vai e faz reconhecimento in loco. Ele leva em consideração parâmetros como a duração do contrato de locação e toma decisões de forma a não aumentar as queixas do inquilino, principalmente no valor solicitado pelo locador.


FONTE: MANHÃ

Fuat Oner
Haber7.com – Chefe de Notícias

Leave a Comment