Resposta do membro do partido DEVA Yeneroğlu à declaração da AGE: ‘Nosso país cheira a sal agora’

O membro do Partido DEVA Mustafa Yeneroğlu disse: “Infelizmente, perdemos a esperança nos tribunais em um país onde o ministro do Interior é quem diz ‘Deixe a lei segui-lo’ e a lei é pisoteada”.

domingo, 19 de junho de 2022, 23:23

Se inscrever

notícias do Google

Democracia e Atılım (DEVA) Partido Istambul Deputado Mustafá YenerogluSobre a declaração da Direção Geral de Segurança a seu respeito,Espero que juntos possamos construir um verdadeiro estado de direito onde todos possam expressar livremente suas opiniões e ninguém seja perseguido. Temos plena fé nisso. Que ninguém duvide; Chegou o fim da opressão, da ilegalidade e da confusão do Estado como propriedade do pai. Eles vão, eles vão” disse.

O chefe do partido DEVA de Políticas de Direito e Justiça Yeneroğlu reagiu à declaração feita hoje pela Direção Geral de Segurança sobre a discussão que teve com um chefe de polícia na cerimônia de abertura da nova placa do Saab Cafe, que foi operado por somalis em Ancara Kızılay e mudou sua sinalização muitas vezes sob pressão da polícia.

Yeneroglu disse:

“NÃO PENSEI EM FAZER UM LUGAR CRIMINOSO, PORQUE O MINISTRO DO INTERIOR NÃO FOI PERMITIDO INVESTIGAR”

  • Estamos passando por momentos muito difíceis como país. Por um lado, o custo de vida interminável e, por outro, o terrível nível de ilegalidade e injustiça. A razão pela qual estamos vivendo esses dias difíceis e porque muitos de nossos jovens estão perdendo a esperança em nosso país é a atual abordagem de gestão que não reconhece a lei. Estas ilegalidades chegaram a tal ponto que a Direção Geral de Segurança, com a missão de proteger a vida, os bens e a castidade de todos nós, pode fazer uma declaração oficial e fazer ameaças visando um deputado. Na sexta-feira passada, em Ankara Kızılay, em um café administrado por um cidadão etíope licenciado e morador da Somália, a polícia tentou praticar uma prática ilegal, como fazia há meses com pessoas de pele negra.
  • Talvez você tenha visto isso nas notícias e nas redes sociais. Estive lá como deputado e advogado. Eu pessoalmente testemunhei e me opus à prática ilegal que se pretendia realizar. Fui exposto à atitude mafiosa, humilhação e insultos de um chefe de polícia de lá. Após o incidente, não pensei em apresentar uma queixa-crime. Porque eu sei que o Ministro do Interior, responsável por esses atos ilícitos, não autorizou uma investigação. Infelizmente, perdemos a esperança nos tribunais de um país onde o Ministro do Interior é quem diz “Deixe a lei seguir” e a lei é pisoteada. Agora nosso país cheira a sal.

“NÃO TEMOS RESPEITO POR QUEM NÃO ESTÁ SEGUINDO A LEI, PRINCIPAL DO MINISTRO DO INTERIOR”

  • Além disso, acredito que o incidente tem uma dimensão além dos insultos dirigidos a mim pessoalmente. Deixo a seu critério que um policial insulte um membro do parlamento enquanto é claro que todos os tipos de ilegalidade são vivenciados em nossa nação, mas no ponto alcançado hoje, gostaria primeiro de compartilhar meus sentimentos com você no declaração oficial feita pela Direção Geral de Segurança, face às ameaças contra mim e aos alvos que me tornam hostil. . Porque hoje, não temos lugar para reclamar dessa mentalidade de gestão tirânica e avareza sem lei, mas você. A Direção Geral de Segurança é responsável por proteger a segurança da vida e da propriedade de todos nós. O Estado e todas as suas instituições existem para servir nossos 84 milhões de cidadãos.
  • A administração do Estado deriva sua legitimidade da vontade do povo e da lei. Pode ser o Diretor Geral de Segurança quem ameaça e tem como alvo um deputado que representa a vontade da nação com uma declaração oficial? Temos o maior respeito por todos os membros da força policial, que atuam de acordo com a lei e conhecem as responsabilidades exigidas pelo uniforme oficial que carregam. No entanto, não temos respeito por aqueles que não estão vinculados à lei dentro das instituições do Estado, especialmente o Ministro do Interior. Ninguém deve esperar que fiquemos calados contra aqueles que usam ilegalmente o poder e a autoridade conferidos pelo Estado.

“ELES NÃO PODEM NOS TEMER COM KOF BULLYING”

  • Por favor, coloque a mão na consciência e responda. É bom para esta nação mirar um deputado com uma declaração oficial? É claro que não teremos medo dessas ameaças. Claro que continuaremos a dizer a verdade, a defender a lei nacional e a ordem constitucional. Claro, eles não podem nos assustar com esses valentões vazios, essas atitudes da máfia de rua. Mas é uma vergonha para o nosso país. É uma pena para a juventude deste país, para os esforços deste país, para o futuro deste belo país.

“O fim de confundir o Estado como propriedade do pai”

  • A eleição está à nossa frente, as urnas estão próximas. Não temos dúvidas de que a previsão de nossa nação porá fim a essa ordem ilegal. Juntos vamos nos livrar dessa administração sem lei. Espero que juntos possamos construir um verdadeiro estado de direito onde todos possam expressar livremente suas opiniões e ninguém seja perseguido. Temos plena fé nisso. Que ninguém duvide; Chegou o fim da opressão, da ilegalidade e da confusão do Estado como propriedade do pai. Eles vão, eles vão.

Cumhuriyet TV Youtube Inscreva-se

Leave a Comment