A regulamentação sobre mídias sociais e jornalismo na internet, que causou o debate sobre ‘censura’, foi aprovada na comissão

Conhecida como a ‘lei das redes sociais’ na opinião pública, que foi trazida à ordem do dia em razão do combate à desinformação. Proposta de Alteração da Lei de Imprensa e de Algumas Leis, Foi aceito pela Comissão Parlamentar de Justiça. Licitação; Quem ‘disseminar informações falsas de forma a perturbar a paz pública’ será punido com pena de prisão de um a três anos. O cartão de imprensa será aceito como documento de identidade oficial.

De acordo com a proposta aceite na comissão, prevê-se que as questões relacionadas com os sítios de notícias na Internet e os cartões de imprensa sejam incluídos no âmbito da Lei de Imprensa para dar uma base legal, e que os funcionários públicos que trabalham nos serviços de informação de rádio, televisão, instituições e organizações públicas serão considerados como funcionários de periódicos em termos de emissão de cartões de imprensa.

A determinação dos procedimentos e princípios relativos à carteira de imprensa se soma aos objetivos da Lei de Imprensa. Com a proposta, os membros dos órgãos de comunicação social e de informação que solicitem o cartão de imprensa serão incluídos no âmbito da lei.

Os sites de notícias da Internet também serão incluídos na definição de periódicos. O regulamento também define o site de notícias na internet, o Diretor de Comunicação, a Diretoria de Comunicação, a Comissão de Cartões de Imprensa, um membro da mídia e um oficial de informação.

A declaração para emissão de periódicos será entregue à Agência de Publicidade de Imprensa.

O endereço do local de trabalho, nome comercial, endereço de e-mail, telefone de contato e endereço de notificação eletrônica, bem como o nome e endereço do provedor de hospedagem nos sites de notícias da Internet serão mantidos sob o título “contato” de forma que os usuários possam acesso direto da página inicial.

A data em que um conteúdo é apresentado pela primeira vez em sites de notícias da internet e as próximas datas de atualização serão indicadas no conteúdo, de forma que não seja alterada cada vez que for acessado.

A fim de garantir que os comunicados de imprensa e as decisões de proibição de transmissão proferidas pelos órgãos judiciais sejam comunicadas de forma rápida e eficaz; Para a publicação de periódicos, a declaração a ser submetida para registro passará a ser entregue à Agência de Publicidade na Imprensa e não ao Gabinete do Ministério Público.

O endereço eletrônico de notificação também constará na declaração apresentada para registro.

A Instituição de Publicidade na Imprensa pode solicitar a suspensão da publicação.

A proibição de transmissão não será aplicada em termos de sites de notícias na Internet. Se o site de notícias na Internet não cumprir com a disposição, a Agência de Publicidade na Imprensa solicitará ao site de notícias na Internet que corrija as deficiências ou a informação falsa no prazo de 2 semanas. Se o pedido não for atendido, a Instituição de Publicidade na Imprensa recorrerá ao juízo criminal de primeira instância para determinar que a qualificação do site de notícias na internet não foi alcançada. O tribunal dará a sua decisão no prazo máximo de 2 semanas.

Se a candidatura for aceite, serão removidos os anúncios e anúncios oficiais que podem ser fornecidos para os sites de notícias da Internet e os direitos dos funcionários em relação ao cartão de imprensa. A supressão dos direitos previstos para o site de notícias na internet não impedirá a aplicação das sanções previstas na presente Lei ou na legislação pertinente.

“Obrigação de Entrega e Preservação”

Os conteúdos publicados no site de notícias na internet serão mantidos por 2 anos de forma correta e completa, para serem entregues ao Ministério Público quando necessário.

Em caso de notificação escrita ao site de notícias da Internet de que a publicação é objeto de investigação e ação penal pelas autoridades judiciárias, será obrigatório manter o registro da publicação objeto de investigação e ação penal até a notificação da conclusão do esses processos.

O gestor responsável será obrigado a publicar a carta de correção e resposta do lesado nos sites de notícias da internet, sem qualquer correção ou acréscimo, no prazo máximo de um dia a contar da data de recebimento do artigo, nas páginas e colunas do a publicação relevante, nas mesmas fontes e da mesma forma, fornecendo um link de URL. . Caso a decisão de bloquear o acesso e/ou remover o conteúdo sobre a transmissão seja implementada ou o conteúdo seja removido automaticamente pelo site de notícias na Internet, o texto de correção e resposta será publicado no site de notícias da Internet onde a transmissão relevante é feito por um período de 1 semana, cujas primeiras 24 horas estão na página inicial.

Os processos criminais relativos a outros crimes cometidos por meio de impressos ou sites de notícias na internet ou previstos nesta lei terão que ser abertos no prazo de 4 meses para os periódicos diários e sites de notícias na internet, e no prazo de 6 meses para os demais impressos, como condição de fundamentação. Esses prazos serão contados a partir da entrega dos impressos ao Ministério Público e, para os sites de notícias da internet, a partir da notificação do crime.

Aplicação do cartão de imprensa, natureza e tipos determinados

Com a proposta, também foram determinados a aplicação do cartão de imprensa, sua natureza e tipos. Assim, o pedido do cartão de imprensa será feito à Direcção de Comunicações. O cartão de imprensa será aceito como documento oficial de identificação.

Os tipos de cartão de imprensa foram determinados da seguinte forma:

– Cartão de imprensa relacionado à missão: Cartão de imprensa entregue a membros da mídia turca e oficiais de informação que trabalham para uma organização de mídia,

– Cartão de imprensa cronometrado: Cartão de imprensa entregue a membros da mídia estrangeira cujo campo de trabalho abrange a Turquia,

– Cartão de imprensa temporário: O cartão de imprensa dado aos membros da mídia estrangeira que vêm à Turquia para notícias por um período temporário, embora seu campo de trabalho não cubra a Turquia,

– Cartão de imprensa gratuito: Cartão de imprensa dado aos membros da mídia que não trabalham temporariamente ou fazem jornalismo freelance no exterior,

– Cartão de imprensa permanente: significa um cartão de imprensa vitalício dado a membros da mídia e oficiais de informação com pelo menos 18 anos de serviço profissional.

O cartão de imprensa é emitido para cidadãos turcos de organizações de mídia que operam na Turquia, proprietários de periódicos ou representantes de pessoas jurídicas e presidente do conselho de administração de rádio e televisão, membros da mídia estrangeira que atuam em nome de organizações de mídia e cujo mandato abrange a Turquia, e cujo campo de trabalho abrange a Turquia. Embora não abranja a Turquia, membros da mídia estrangeira que venham temporariamente à Turquia para fins de notícias, cidadãos turcos proprietários e funcionários de organizações de mídia que transmitem no exterior, membros da mídia turca que fazem jornalismo freelance no exterior, instituições públicas e organizações que atuam no campo da mídia e instituições públicas Pode ser concedido a funcionários públicos que trabalhem nos serviços de informação prestados por sindicatos e associações e fundações que se verifiquem de interesse público, desde que operem no domínio dos meios de comunicação social.

Para solicitar o cartão de imprensa, os candidatos devem ter completado 18 anos, ter concluído pelo menos o ensino médio ou instituição de ensino equivalente, e não ser restringido ou banido dos serviços públicos.

Além disso, mesmo que os prazos especificados no artigo 53 do Código Penal turco tenham passado para que aqueles que solicitam um cartão de imprensa possam se inscrever; prisão por 5 anos ou mais por um crime cometido dolosamente ou por chantagem, roubo, falsificação, fraude, quebra de confiança, perjúrio, perjúrio, calúnia, fabricação, obscenidade, prostituição, falência fraudulenta, peculato, extorsão, suborno, contrabando, manipulação de licitações , execução fraudulenta, branqueamento de valores patrimoniais decorrentes de crime, crimes contra a imunidade sexual, crimes contra a paz pública, crimes contra a ordem constitucional e o funcionamento desta ordem, crimes contra a defesa nacional, crimes contra o segredo de Estado, espionagem não deve ter condenados por crimes ou crimes de terrorismo.

Aos que solicitarem o cartão será também exigido que tenham celebrado um contrato de acordo com o disposto na Lei de Regulamentação das Relações entre Colaboradores e Colaboradores da Profissão de Comunicação Social, para trabalhar ininterruptamente por um período não superior a 1 mês a partir a data da demissão, exceto por força maior, e não exercer atividades comerciais que não sejam atividades de mídia.

“O Arranjo de Relações entre os que exercem a profissão de imprensa e os que exercem a profissão de imprensa, entre os titulares de periódicos ou representantes de pessoas colectivas que solicitem o cartão de imprensa, o presidente do conselho de administração da rádio e televisão, os funcionários que podem obter um cartão de imprensa em instituições e organizações públicas e os membros da mídia cidadã turca que trabalham em organizações estrangeiras de transmissão de imprensa”. As condições de “ter feito um contrato de acordo com as disposições da Lei sobre a Lei, trabalhar ininterruptamente por um período não superior a 1 mês a partir da data da demissão, exceto por força maior, e não exercer atividades comerciais que não sejam atividades de mídia” não serão procurados.

Aqueles que solicitarem um cartão de imprensa permanente e gratuito e aqueles que solicitarem um cartão de imprensa vinculado ao serviço através da Corporação de Rádio e Televisão da Turquia (TRT) devem ter feito um contrato de acordo com as disposições da Lei sobre o Regulamento de Relações entre Funcionários e Empregados na Profissão de Imprensa e não estar a mais de 1 mês a contar da data do despedimento, salvo caso de força maior. A condição de trabalhar sem interrupção não será buscada.

Se eles certificarem que são designados pelo órgão de mídia, tiverem uma autorização de trabalho de acordo com o Direito Internacional do Trabalho e apresentarem uma carta de apresentação recebida da embaixada, embaixada ou consulado na Turquia do país onde a sede do organização à qual estão afiliados, aos membros da mídia estrangeira que solicitem um cartão de imprensa, o cartão pode ser emitido.

A Comissão do Cartão de Imprensa será composta por 9 membros. Além de 2 membros representando a Presidência, um membro a ser indicado pelo sindicato com maior número de titulares de carteira de imprensa entre os sindicatos que atuam como sindicato, e um membro a ser indicado pela Presidência dentre os reitores da comunicação docentes ou jornalistas titulares de carteira de imprensa terão lugar na comissão. O mandato dos membros será de 2 anos. Os membros cujo mandato tenha expirado podem ser reeleitos.

Comissão; decidirá se deve levar um cartão de imprensa avaliando as qualificações, estudos profissionais, trabalhos e prêmios do candidato.

CLIQUE | Projeto de lei de mídia social do AKP e do MHP apresentado ao Parlamento: até 3 anos de prisão

Notícias em vídeo: Özgür Zeren” />

Leave a Comment