Identificar áreas protegidas fechadas para mineração

MURO – Existem aproximadamente 20 mil licenças de mineração em 24 províncias da Turquia. Essas áreas incluem florestas, pastagens, áreas agrícolas, bem como áreas protegidas. Deniz Ataç, presidente da Fundação TEMA, afirmou que a legislação na Turquia permite a mineração em qualquer lugar, independentemente da qualidade, incluindo áreas protegidas, e sugeriu que as áreas fechadas à mineração sejam determinadas por lei para proteger os ativos naturais.

A Fundação TEMA anunciou hoje na sua conferência de imprensa que lançou a campanha ‘Se a lei não protege a mina não sobrevive’. Deniz Ataç, Presidente da Fundação TEMA, que falava no encontro, sublinhou que a legislação não é suficiente para proteger os bens naturais, a segurança alimentar e os valores culturais da Turquia e disse: “Ainda que se tente impor restrições às atividades mineiras com regulamentos e decisões políticas, esses regulamentos facilmente alterados deixam a natureza e a saúde humana inseguras e desprotegidas. . As obras de mineração causam problemas permanentes de saúde e efeitos negativos na vida socioeconômica e cultural da região, onde o solo formado ao longo de milhares de anos está desconectado do leito rochoso que desenvolve, do intenso consumo de água usado durante a operação e da poluição química que causa. Afirmando que a prevenção dessas ameaças causadas pelas atividades de mineração será possível protegendo florestas, áreas protegidas, terras férteis agrícolas e pastagens, bacias de água potável, cultura local e áreas residenciais dos danos da mineração, Ataç resumiu o seguinte:

“Conforme declarado pela Agência das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e praticado por muitos países, determinando as áreas fechadas à mineração por lei e não permitindo quaisquer atividades de mineração, incluindo atividades de exploração, nessas áreas designadas, ativos naturais, riqueza biológica, vida selvagem, áreas agrícolas e de pastagens. é a única maneira de proteger as costas e as bacias de água potável das atividades de mineração. Se a lei não a proteger, a mina não sobreviverá.”

‘PARA MINERAÇÃO’

A Fundação TEMA também preparou um “Documento de Política sobre Áreas Fechadas à Mineração” contra as atividades de mineração que ameaçam a natureza, e sugeriu que as áreas fechadas à mineração sejam determinadas por lei. No documento, ressalta-se que as seguintes áreas devem ser fechadas às atividades de mineração para garantir a sustentabilidade do ecossistema, a biodiversidade, a continuidade da vida selvagem e o acesso à água potável e alimentos seguros:

● O principal objetivo do negócio nos planos de manejo florestal; Áreas florestais determinadas como proteção da natureza, prevenção da erosão, proteção do clima, produção de água, saúde pública, estética, ecoturismo e recreação, defesa nacional e cumprimento de funções científicas,

● Todas as áreas protegidas,

● Potenciais áreas protegidas, como áreas importantes para a natureza, pássaros e plantas determinadas por estudos científicos (ganhando status de proteção)
● Campos agrícolas;
– Baseado na Lei de Conservação e Uso do Solo nº 5.403; terras agrícolas absolutas, terras de cultivos especiais, terras agrícolas plantadas e grandes planícies,
– Pastagens, prados, pastagens e áreas de invernada onde se encontram espécies endêmicas ou raras com distribuição local e raças geográficas locais com ampla distribuição no âmbito da Lei de Pastagens nº 4342,
– Olivais cujas fronteiras são traçadas com a Lei da Azeitona n.º 3573,

● Bacias de água potável com todas as distâncias de proteção,

● Zonas húmidas (Áreas Ramsar, zonas húmidas de importância nacional e local),

● Áreas costeiras e áreas marinhas protegidas (dando status de proteção a prados marinhos e dunas de areia),

● Áreas Protegidas Potenciais, como Áreas Importantes de Natureza, Aves e Plantas determinadas por estudos científicos (ganhando status de proteção)”
Dezenas de milhares de domínios licenciados

A Fundação TEMA revelou que existem aproximadamente 20 mil licenças de mineração em 24 províncias da Turquia em 2019. Como resultado dos estudos do mapa mostrando a distribuição de licenças de mineração, em 24 províncias (Çanakkale, Balıkesir, Muğla, Tekirdağ, Kırklareli, Afyonkarahisar, Kütahya , Uşak, Zonguldak, Bartın, Eskişehir, Karaman, Kahramanmaraş, Erzincan, Dersim, Ordu, Tokat, Artvin, Erzurum, Bayburt, Şırnak, Siirt, Batman e Sivas) foi determinado que havia aproximadamente 20 mil licenças de mineração. Suas licenças; De acordo com os resultados dos estudos que examinam a relação entre florestas, áreas protegidas, áreas agrícolas e de pastagens e propriedades culturais, verificou-se que a taxa média de licenciamento das províncias era de 63 por cento.

Leave a Comment