Sexta regra!

Enquanto os dois primeiros-ministros estavam sentados em uma sala discutindo assuntos de Estado, um homem irrompeu na sala gritando e chamando com uma raiva quase acometida. Por um lado, ele bate no chão com os pés e, por outro, dá um soco na mesa.

O primeiro-ministro anfitrião avisa-o. “Peter”, ele diz, “apenas lembre-se da sexta regra.”

Então Peter de repente se acalma, pede desculpas e sai da sala.

Os políticos retomam a conversa, mas 20 minutos depois a conversa é interrompida novamente quando uma mulher entra, gesticulando descontroladamente e com o cabelo voando no ar.

Este intruso é saudado com as mesmas palavras. “Marie, por favor, lembre-se da sexta regra.”
A mulher se acalma, o quarto está completamente calmo, e a mulher pede desculpas e sai do quarto.

Quando a mesma cena se repete pela terceira vez, o primeiro-ministro convidado diz ao colega:

“Caro amigo, eu já vi muitas coisas na minha vida, mas nunca encontrei nada tão impressionante quanto este. Se você não se importa, você compartilharia comigo o segredo da sexta regra?”
“Muito simples”, respondeu o primeiro-ministro anfitrião; “Regra número seis significa ‘Não se leve tão a sério’.”
“Oh”, diz o primeiro-ministro visitante, “essa é uma boa regra.”
Então pergunta: “Eu estava me perguntando, quais são as cinco principais regras?”
Primeiro-ministro responde: “Não há outras regras.”

Li essa história no livro “Pense sem limites, mude sua vida” de Rosamund Stone Zander e Benjamin Zander. (Boyner Publications, Traduzido por Nurettin Elhuseyni.)

O que me faz lembrar de novo é a série de TV Ersan Kuneri e observando as respostas dos produtores e artistas a essas críticas.

Erşan Kuneri é uma série de filmes que não estamos acostumados.

Naturalmente, há quem goste e quem não goste. Também gostei de alguns filmes da série, achei alguns filmes infantis.

Mas como resultado, eu sentei e assisti. Eu me diverti.

Esta é a resposta para a pergunta do que uma pessoa espera de um filme para mim.

Se quero mais, leio um livro, dou um passeio, converso com meus amigos no bar ou na taverna.

Talvez seja melhor chamar Erşan Kuneri de “série de filmes” em vez de “série de filmes”, é um formato ao qual não estamos acostumados.

De qualquer forma, o que quero chamar sua atenção é que estamos tendo um problema de etiqueta de discussão.

Não podemos sentar e conversar sobre nada.

Línguas pontudas, esforços para colocar palavras na outra pessoa, respostas que nada têm a ver com a essência da questão enlouquecem.

Discussões semelhantes Viagem de Ekrem İmamoğlu Turismo a Rize Nós também experimentamos a ocasião.

Alguns de nós não gostaram da tripulação do ônibus e, quando responderam a essa desaprovação, as críticas ficaram ainda mais duras.

Ou “nova ordem de mídia” discussões sobre como se adaptar.

Onde a crítica é tolerada em todos os níveis.

Aqueles que vêem o direito de criticar a todos e criticar duramente não podem tolerar críticas contra si mesmos.

O tipo de debate turco também se desenvolve neste terreno.

Por exemplo, alguém pergunta por que aqueles que usam sapatos marrons ficam tão incomodados com a atitude expansionista da OTAN.

A resposta geralmente está no nível: eu também sou seu…!

O ego de todos está prestes a explodir, todos parecem ter dividido o átomo, esperando aplausos.

Em vez de bater palmas, se você disser “mas já foi despedaçado antes”, a resposta está pronta: Cala a boca velho!

Todas as manhãs, quando leio os comentários nos jornais e na Internet, sinto: Lembre-se da sexta regra!

E uma discussão que não existe, respondendo como se há.

Por exemplo, no outro dia Ministro da Indústria Mustafa Varankliteralmente do nada “É fascismo dizer por que os investidores árabes estão vindo” disse.

O que isso tem a ver com alguma coisa?

Aparentemente Kemal Kilicdaroglu, twittou em árabe sobre os rumores de que os catarianos investirão em terras do Aeroporto Atatürk. “Se houver um crime, nós o responsabilizaremos, mesmo que você esteja entre os perpetradores. um tweet.

Agora aqui é possível criticar o líder da principal oposição por levar um boato a sério.

Qual Catar está chegando, o que ele vai fazer no aeroporto, concorda com a seriedade do principal líder da oposição em se agarrar ao tweet sem conhecê-los concretamente?

Mas a partir disso “Embora não diga nada à Holanda ou à Alemanha, não twitte em holandês ou alemão, quando se trata de um investidor do Oriente Médio e países árabes, eles criticam ‘uau, por que os investidores árabes estão vindo para a Turquia’? É possível tirar conclusões?

O homem diz que os Dardanelos, você diz, o Bósforo queimou! (Caros leitores, você não precisa me escrever um e-mail para isso, eu sei qual é a verdade desse ditado.)

Não é bom se acalmar um pouco agora?

Você não está cansado? Não estamos todos cansados ​​disso?

* * *

Como você pode ver, estamos comemorando a 33ª Semana da Vitória, mas, na verdade, já faz mais de um ano desde que fiz as primeiras perguntas.

Por exemplo, não pude escrever por diferentes motivos nas duas primeiras sextas-feiras deste mês, então pulamos duas semanas.

Sem mais delongas, Süleyman Soylu Vamos começar com.

Süleyman Soylu tem muitas perguntas para responder e está se escondendo, sem responder.

Permitam-me também salientar que testemunhamos, em todas as regras religiosas do AKP, que um Ministro do Interior pode estar envolvido em assuntos tão complicados na história do TR.

Você deve se lembrar que quatro cofres e contadores de dinheiro do tamanho de um homem saíram da casa do filho de alguém.

Soylu, por outro lado, parece tê-lo superado.

1 – Alguém fingindo ser jornalista pediu ao empresário Sezgin Baran Korkmaz 10 milhões de euros para serem entregues ao Ministro do Interior Soylu.

Para isso, Korkmaz “Alguns de seus homens foram mantidos reféns enquanto a operação estava sendo realizada contra ele” ele diz também.

De acordo com esta alegação, a Soylu não só pediu a um empresário 10 milhões de euros de bónus, mas também assassino da máfia da polícia estadual usado como

2 – O ministro do Interior, que não esconde os arquivos de corrupção que tirou dos municípios de Ancara e Istambul e não os envia para o Ministério Público, também conhece o “político do AKP que recebe dinheiro da máfia”, mas não revela isto.

Esta situação, com a qual me sinto desconfortável, não incomoda os executivos e deputados do AKP.

As “sensibilidades conservadoras” não estão de pé.

No entanto, se alguém faz um desenho de que não gosta, todos pulam juntos.

Entre eles “Não deixe isso mexer com a gente, ninguém explica esse cara mano” não há ninguém para dizer.

Além disso, o nome do político do AKP, pago pela máfia, permanece em um arquivo de investigação pendente.

Por que o promotor está protegendo o político que é pago pela máfia? Ele também é o parceiro do político da máfia?

3 – Um procurador e um juiz, nomeados Vice-Ministro da Justiça, levantaram a medida sobre os bens de Sezgin Baran Korkmaz, citando um relatório inexistente da MASAK.

Assim, foi possível contrabandear 150 milhões de dólares em bens.

O Ministro da Justiça nunca pergunta ao seu vice como ele pôde fazer isso?

Como o promotor e o juiz puderam fazer isso?

Receberam ordens, aceitaram dinheiro?

Kebab de castanha, resposta rápida!

Leave a Comment