Litígio sobre o Regulamento do Acordo Coletivo encerrado

Com a alteração efetuada em 2016, o inciso () do artigo 3º do Regulamento foi alterado da seguinte forma.

“Ministro da Câmara: Um dos ministros de fato dos departamentos responsáveis ​​pelo tratamento das controvérsias decorrentes da Lei Sindical e Acordo Coletivo nº 6356 do Supremo Tribunal Federal. o Ministro da Junta, que é formado no ministério do ministro que mais

Na ação contra este regulamento, a 10ª Câmara do Conselho de Estado decidiu anular o seguinte:

O Ministro do Conselho Superior de Arbitragem, instituído nos termos do artigo 54.º da Lei nº. 6.356 (como era na data da controvérsia), reunir-se-á sob a tutela do ministro mais antigo das repartições do Supremo Tribunal Federal responsáveis ​​pelo tratamento das controvérsias decorrentes desta Lei, e Ainda que o princípio da antiguidade seja determinado com base na antiguidade na Presidência do Supremo Tribunal, nos termos do artigo 31.º da Lei nº. 2.797, com a alteração da Lei, que é objeto do caso, foi feita uma regulamentação que ultrapassa o disposto na Lei mencionada acima.Na eleição do Ministro da Administração Interna e da Direcção, prevê-se que seja tomado como base o período efectivamente passado no departamento,

Neste caso, a alteração da Lei nº 6.356 (como estava na data da controvérsia) e a alteração do Regulamento, objeto da ação, contraria o disposto no artigo 31 do art. Lei nº. foi decidido.

NOTA: A frase do parágrafo supracitado após a decisão de cancelamento da 10ª Câmara é “no ministério do ministro que realmente serve mais entre os ministros” alterado como.

TR

NEGAR

COMITÊ DE JURISDIÇÃO ESTREITO

BASE Nº: 2021/3773

DECISÃO Nº: 2022/772

APELAÇÃO (DEFESA): Ministério do Recrutamento e Segurança Social

(Ministério da Família, Acolhimento e Serviços Sociais da Mlga)

VEKL: Direito. M. Atty. Nuray Kken

PARTE DA ESPOSA (REQUERENTE): Mer Hicri Tuna Maviehir Mah. Aziz Nesin Bulvar Nº: 97/48 Karyaka/ZMR

ASSUNTO ASSUNTO: Solicita-se que a decisão da Décima Câmara do Dantay, datada de 01/04/2021 e numerada E:2016/1223, K:2021/1516, seja revista e anulada em recurso.

JURISDIÇÃO SREC:

Reivindicação do assunto:

Foi solicitado o cancelamento do artigo 1º do Regulamento de Alteração do Regulamento de Candidatura a Mediador e Árbitro em Acordo Coletivo publicado no Diário da República datado de 03/04/2016 e numerado 29643.

Resumo da decisão da Câmara:

Com a decisão da Décima Câmara de Dantay, datada de 01/04/2021 e E:2016/1223, K:2021/1516;

No artigo 54 da Lei de Sindicatos e Convenções Coletivas n. de resolver os litígios decorrentes do acordo coletivo, são regulamentados; Começou a deliberar que o Conselho Superior de Arbitragem se reunirá sob a tutela do mais antigo dos ministros dos departamentos do Supremo Tribunal responsáveis ​​pelo tratamento dos litígios decorrentes desta Lei,

No artigo 57 da Lei nº 6.356, os procedimentos e princípios de funcionamento do Conselho Superior de Arbitragem; Remuneração a pagar aos ministros e membros do Conselho Superior de Arbitragem e aos peritos e relatores a designar neste Conselho; os vencimentos a atribuir aos peritos e tanques e as disposições processuais a aplicar no exame do árbitro especial em caso de litígios de lucro colectivo; Afirmou-se que a qualificação, seleção, remuneração e designação dos mediadores serão regulamentados por regulamento a ser submetido ao Ministério, com a aprovação do Ministério das Finanças,

O Regulamento de Inscrição de Mediador e Árbitro em Acordo Coletivo, elaborado com base no referido artigo 57 da Lei nº 6.356, entrou em vigor ao ser publicado no Diário Oficial de 12/07/2013 e numerado 28844,

No inciso () do artigo 3º intitulado “Definições” do Regulamento Acordado, enquanto a Alta Comissão de Arbitragem do Ministro do Conselho foi disposta a ser expressa pelo Ministro, o Regulamento de Alteração do Regulamento de Aplicação a um Mediador e Árbitro no Acordo Coletivo publicado no Diário da República datado de 03/04/2016 e numerado 29643. decorrente da Lei de Sindicatos e Acordo Coletivo nº 6.356 do Supremo Tribunal Federal, que está no ministério do ministro que realmente mais serve.” foi alterado como

No artigo 31 da Lei do Supremo Tribunal Federal n. 2.797, regulamenta-se como será determinada a antiguidade dos primeiros vice-ministros do STF e dos ministros departamentais; “Na determinação da antiguidade dos primeiros vice-ministros e ministros de departamento, toma-se como base a antiguidade no cargo de Supremo Tribunal.” regra foi incluída,

Por outro lado, o artigo 36 da Lei nº 6.770, de 18/01/2017, publicado no Diário Oficial de 27/01/2017 e número 29961, e o artigo 54 da Lei dos Sindicatos e Acordos Coletivos, número 6356. contido no parágrafo. “no ministério do ministro mais antigo” a frase “no ministério do ministro com o maior mandato de ministério” Observando que o julgamento deve ser realizado de acordo com as normas legais na data do litígio, ainda que tenha sido alterado da seguinte forma;

O Ministro do Conselho Superior de Arbitragem, que foi instituído nos termos do artigo 54.º da Lei n.º. 6.356 (como era na data da controvérsia), reunir-se-á sob a tutela do ministro mais antigo dos departamentos do Supremo Tribunal responsáveis ​​pelo tratamento das controvérsias decorrentes desta Lei. De acordo com o artigo 31.º, embora seja regra que será determinada com base na antiguidade na Presidência do Tribunal de Cassação, foi feito um regulamento que ultrapassa o disposto na Lei acima mencionada com a alteração do Regulamento , que é o objeto do processo, e ficou determinado que o tempo efetivamente gasto no ministério do departamento seria tomado como base na eleição do Ministro do Conselho,

Neste caso, a alteração da Lei nº 6.356 (como estava na data da controvérsia) e a alteração do Regulamento, objeto da ação, contraria o disposto no artigo 31 do art. Lei nº. foi decidido.

DDAS APLICÁVEIS:

Na decisão da Câmara, objeto do recurso, a administração recorrida

Embora a decisão tenha sido anulada por referência ao artigo 31 da Lei do Supremo Tribunal Federal n. 2.797, artigo do Regulamento, objeto da ação, não contrariava a Lei nº 6.356 sobre Sindicatos e Acordo Coletivo; Além disso, o artigo 36 da Lei n. “sob o ministério do mais alto dos ministros” da frase “Entre os ministros, quem tem mais tempo no ministério está no ministério” Sustenta-se que com esta alteração feita na Lei, o artigo do Regulamento objeto da ação tornou-se compatível com a Lei subjacente, portanto, o processo ficou sem discussão e a decisão da Câmara deve ser revogada.

DEFESA DE LUCROS:

Não houve defesa do reclamante.

DANITAY TETKK DIREITOS DNCES:

Considera-se que a decisão da Câmara deve ser mantida com o indeferimento do pedido de recurso.

EM NOME DE TRK MLLET

Ouvidas as explicações do Juiz de Instrução e examinados os documentos dos autos, a decisão foi tomada pelo Conselho de Câmaras de Processos Administrativos do Conselho de Estado:

AVALIAÇÃO DA LEI:

As decisões finais das câmaras de litígio de Dantay são revistas e anuladas em recurso.

“a) Ser cuidado para um trabalho que não seja dever e autoridade,

b) Tomar uma decisão contrária à lei,

c) É possível em caso de existência de um dos motivos “Existem erros ou deficiências que possam afetar a decisão na implementação das disposições processuais.

A decisão examinada pelo recurso estava de acordo com o procedimento e a lei, e as alegações feitas no recurso de apelação não foram consideradas para exigir a reversão da decisão.

RESULTADO DA DECISÃO:

Por motivos justificados;

1. O indeferimento do recurso da administração recorrida,

2. APROVAÇÃO da decisão da Décima Câmara do Conselho de Estado, datada de 01/04/2021 e E:2016/1223, K:2021/1516, que é objeto de recurso, relativa ao cancelamento do regulamento que está objeto da causa, em razão do fato acima mencionado,

3. Foi decidido por unanimidade em 03/07/2022.

Officers.Net InstagramClique para seguir

Leave a Comment