‘Quebramos os preconceitos na abordagem ao deficiente’

UAV – Em cooperação com o MUSIAD Mulheres e o Conselho do Setor de Saúde do MUSIAD, foi organizado um evento chamado ‘Discernir sem Barreiras, Descobrir Sem Barreiras’ para a Semana do Deficiente. O ministro da Família, Trabalho e Serviços Sociais, Derya Yanık, o vice-governador de Istambul, Abdurrahman İnan, o prefeito de Bahçelievler, Hakan Bahadır, o presidente do MUSIAD, Mahmut Asmalı, chefes de filiais do MUSIAD, membros, cidadãos com deficiência e suas famílias participaram do evento na sede do MUSIAD em Bahçelievler. No evento, pessoas com deficiência oriundas de centros de atendimento em diferentes províncias demonstraram suas habilidades cantando canções folclóricas de suas regiões e jogando. Além disso, os produtos confeccionados por pessoas com deficiência foram expostos no hall de entrada do centro.

“Nosso objetivo é que todos os nossos cidadãos levem uma vida mais feliz, mais pacífica e segura”
Falando no evento, o Ministro Yanık disse: “Estamos trabalhando para garantir a participação plena, igual, natural e ativa de cada membro de nossa família na vida e, nesse sentido, ouvimos as experiências de nossos cidadãos com deficiência e apoiamos atividades acadêmicas. Nosso objetivo é que todos os nossos cidadãos levem uma vida mais feliz, mais pacífica e segura. É garantir que o bem-estar social produzido pela sociedade seja distribuído de forma igualitária e justa a todos os segmentos. É por isso que diversificamos nossos itens de ajuda social. Por esta razão, estamos desenvolvendo diferentes centros e programas de atendimento e reabilitação para nossos cidadãos com deficiência.

“Quebramos os preconceitos na abordagem do deficiente”
Explicando que quebraram os preconceitos na abordagem dos deficientes, o Ministro Yanık disse: “Estamos tentando desenvolver a consciência e a sensibilidade social para superar esses obstáculos, identificando os obstáculos nos campos da educação, saúde, esportes, cultura-artes atividades, emprego e acessibilidade. Já se foram os dias em que nossos cidadãos com deficiência viviam uma vida dependente em casa, privados de todos os tipos de educação e oportunidades sociais. Talvez o mais difícil tenha sido quebrar esses preconceitos. Não foi fácil evitar estereótipos e transformar as mentalidades que perguntam: o que ele está fazendo lá fora, na rua, no esporte, na escola, na arte, no shopping ou no cinema? Temos nos esforçado para fornecer todo tipo de apoio para que nossos cidadãos com deficiência possam levar uma vida com dignidade e independência, com uma abordagem baseada em direitos.”

Afirmando que as pessoas com deficiência estão agora em todas as áreas da vida, o ministro Yanık disse: “Eles aparecem, não estão atrás de portas fechadas. Eles participam da vida com seus talentos, conhecimento e energia, e podem facilmente mostrar que não estão presos em obstáculos. Como governos do Partido AK, temos dado todos os passos necessários para garantir que nossos cidadãos com deficiência participem da vida social e atendam suas próprias necessidades tanto quanto possível em suas vidas diárias, no âmbito das medidas que tomamos e os serviços que prestamos. Fazemos todos os gastos que temos que fazer sem hesitação, e realizamos nosso trabalho sabendo que nossos cidadãos com deficiência estão baseados no direito, participando da vida social tanto quanto qualquer outra pessoa, que é seu direito mais natural e que o que é feito a eles não é uma bênção.”

Indicando que as pessoas com deficiência foram ignoradas porque não podiam sair às ruas no período anterior, Yanık disse: “20-25 anos atrás, quando organizações internacionais vieram para a Turquia, eles estavam dizendo: ‘Oh, não há pessoa com deficiência na Turquia, que sociedade saudável’. No entanto, as pessoas com deficiência não eram vistas na rua porque não podiam sair de casa. Por isso, hoje, vemos que as nossas pessoas com deficiência trabalham em cafés, em alguns centros de trabalho, em diferentes locais no âmbito dos nossos projetos, participam na vida social e recebem educação. A partir de agora, continuaremos nossos esforços para atender a todas as necessidades sociais, econômicas e educacionais baseadas em direitos de nossos cidadãos com deficiência. E espero que continuemos nosso trabalho com a consciência de que cada um de nós, deficientes-deficientes, velhos-jovens, mulher-homem-criança, temos um lugar de destaque nesta sociedade, sem esquecer a consciência de que o ser humano é uma criatura notável.

Leave a Comment